quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Tempo sem Tempo

"Tempo, sem tempoTempo,
carrasco de mim e de ti,
Desliza como areia por entre dedos,
Condena-nos com os seus estigmas,
Evocando árvores nuas de Outono."

Autor Desconhecido

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar!